Sal que não salga e a luz que se esconde

Recentemente, comentei ao final de uma live no Instagram sobre como o dualismo – ou dualidade como preferir – tem sido amplamente aceito pela igreja como algo não só comum, mas também necessário, abrindo margem e dando munição para os inimigos dela que usam dessa oportunidade, para a isolar e calar sua voz na sociedade.

Dualismo/Dualidade: o que é?

É um sistema religioso ou filosófico que admite a coexistência de dois princípios eternos, necessários e opostos. Doutrina que em qualquer ordem de ideias admite dois princípios irredutíveis. É o conceito de bem e mal, aplicado ideologicamente onde forças não necessariamente opostas, mas discordantes entre si, não têm condições de viverem juntas, de modo a serem separadas e excluídas proporcionalmente.

Como isso impacta a igreja?

O argumento mais comum utilizado para calar a voz e minar a influência dos valores cristãos na sociedade, é o Estado Laico. Para quem não sabe, a laicidade do Estado se encontra no fato de este, não possuir uma religião oficial. Porém, há uma certa confusão a respeito dessa laicidade. Como bem postou Francisco Razzo há alguns dias:

Opera Instantâneo_2018-08-27_092027_twitter.com.png

Segundo a Constituição Federal do Brasil, o Estado não pode interferir no ambiente e liturgia de culto, porque o faria tendo como pressuposto alguma influência religiosa ou filosófica. Coisa que, o mesmo não pode possuir. O impacto direto que vemos na igreja é justamente a promoção do silêncio. O modo como se fala sobre a laicidade do estado, não é visando uma não interferência deste nos cultos, mas numa separação total de quaisquer princípios de moralidade que tenham origem em preceitos religiosos e aqueles praticados pelo Estado. Nesse ponto, o Estado deixa de ser laico, para ser ateu, indo na direção oposta do que diz a Constituição – nesse texto, abordo como isso influencia também outras religiões. É onde entra a dualidade. Uma vez que o Estado se apresenta como ateu, a força proporcionalmente oposta é a religião, fazendo com que ambos vão em direções diferentes para que não haja conflitos entre eles, o que na prática resulta apenas no silenciamento da voz da igreja. Infelizmente, a igreja tem aceitado esse tipo de demarcação territorial, se relegando a permanecer em silêncio nos templos por duas horas de culto, enquanto a sociedade desmorona à sua volta, porque aceitou a mensagem de que isso não é problema dela, quando na verdade, é.

A ordenança de Jesus para a Igreja

No sermão do monte, Cristo fala sobre a importância de sermos Sal da Terra e Luz do Mundo – temos uma série de textos sobre o sermão, para ler o primeiro texto, clique aqui. É bem comum que tratemos o sal como tempero unicamente, falando sobre sua finalidade de tornar os alimentos mais saborosos para quem os ingerir. Porém, precisamos nos lembrar que no primeiro século, o uso igualmente importante do sal, era o de conservar os alimentos. Como seguidores de Cristo, precisamos assumir o nosso papel como mantenedores de princípios que têm como objetivo evitar a auto-destruição da sociedade. O sal que não cumpre a sua função, serve apenas para ser pisado, e quem o fará são os homens.

“Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.”
Mateus 5:13

E para cumprirmos tal função, não podemos nos ater a ficar somente nas quatro paredes do templo. É preciso que nos posicionemos nas escolas, na política e em quaisquer locais, onde os princípios do evangelho estejam sendo atacados e porque não, expulsos. Dessa forma, exercemos a segunda função que envolve justamente a exposição pública:

“Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.”
Mateus 5:14-16

Não fomos chamados para falar sobre Cristo somente quando e onde é conveniente para as pessoas. Pelo contrário, a luz tem sua função exercida nas mais densas trevas. Qual a utilidade de uma luz que não se vê? Quando nos escondemos embaixo da cama, permitimos que as pessoas permaneçam nas trevas de seus desejos pecaminosos, caminhando para a morte certa. Quando pessoas públicas e influentes dizem que cristãos não devem se meter em assuntos relacionados ao governo e afins, na verdade, estão rejeitando todo o princípio de moralidade superior e objetivo que rege o ser humano, e que é revelado pela mensagem do evangelho. Uma forma de confessar que rejeita totalmente, qualquer freio para atitudes vis que a noiva de Cristo representa. Essas mesmas pessoas, constantemente, lançam farpas sobre o que a igreja deve ensinar, caracterizando qualquer ensino contrário às suas práticas como preconceituosos, taxando como “discurso de ódio”. Percebe a incoerência? Não querem a igreja se envolvendo em assuntos do estado, mas usam o estado para estabelecerem limites para o que a igreja deve pregar.

Muitos cristãos têm se conformado com as mordaças ideológicas disfarçadas de laicidade, tolerando o pecado e adotando discursos humanistas que vão na direção oposta do evangelho, dando mais atenção às paixões do mundo, que ao ordenado pelo nosso Senhor Jesus Crito. A esses o apóstolo João diz:

“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.
Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.”
1 João 2:15-17

Untitled design

ÍDOLOS MODERNOS

Esse é o primeiro texto de uma série que tem como objetivo trabalhar a idéia de como ídolos são criados em nossos corações com relativa freqüência para nos afastar de Deus. Calvino disse: “O coração humano é uma fábrica de ídolos.” Ele estava certo. Algo que precisamos entender para que então possamos combater isso, é que: o nosso coração (carne) naturalmente rejeita a Deus e abraça o pecado. Continuar lendo “ÍDOLOS MODERNOS”

Sendo atletas de Cristo

A cada 4 anos presenciamos algo que é quase um fenômeno da natureza mundial: A Copa do Mundo FIFA. 32 seleções formadas pelos melhores jogadores de suas nacionalidades, representando a bandeira de uma nação, lutando pela glória de marcar o seu nome na história como vencedor de um evento tão grandioso. Continuar lendo “Sendo atletas de Cristo”

Casamentos líquidos

Esse texto é basicamente uma continuação do texto Pornografia e Masturbação que são assuntos bem comuns em nosso dia-a-dia e que por mais que estejam sendo empurrados goela abaixo pela mídia e pelo hedonismo de nosso tempo, a prática sexual para ser plenamente aproveitada, precisa seguir os padrões bíblicos, pois é por meio da Bíblia que podemos visualizar o propósito de Deus para o homem nesse assunto. Quem acha Continuar lendo “Casamentos líquidos”

Uma breve análise bíblica a respeito da sociedade e suas filosofias

ATUALIDADES
“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” 1 João 2:15-17
Continuar lendo “Uma breve análise bíblica a respeito da sociedade e suas filosofias”