Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.
Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
Mateus 5:13-16 Continuar lendo “Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz”

Animais como filhos, crianças como animais

Recentemente, ouvi um vídeo que minha esposa assistia no Facebook, no qual um casal apresentava a irmãzinha, para o integrante anterior da casa. Expressões como: “olha sua irmãzinha”, “não falamos que íamos trazer sua irmãzinha para casa?” são as que mais se repetem no decorrer do vídeo. Confesso que, ao ouvir tudo aquilo, até me emocionei e fui conferir a cena completa. Qual não foi o meu espanto ao ver que a irmã mais velha que recebia a mais nova membra da família, era uma cadela? Fiquei estarrecido com a situação, o que me trouxe de volta a uma situação que tenho comentado com frequência: quais os limites para uma interação saudável entre pessoas e animais de estimação?

Continuar lendo “Animais como filhos, crianças como animais”

O Sermão do Monte: Parte 5 – Conclusão

Ainda falando sobre a prática da justiça, Jesus usa alguns exemplos bem particulares aos judeus para que eles pudessem absorver totalmente a mensagem. É bem provável que ao se deparar com alguma dessas situações no cotidiano, os ouvintes e em especial os discípulos, se lembrassem de imediato dos ensinamentos e da profundidade da situação. Continuar lendo “O Sermão do Monte: Parte 5 – Conclusão”