Evangelho: você sabe o que é?

A bíblia possui quatro livros que são chamados evangelhos. Dependendo da versão que possua em sua casa, pode ser ” o evangelho segundo…”, “o evangelho de…”, “evangelho escrito por…”, como forma de apresentação do conteúdo narrativo contido naquele livro. Talvez se você perguntar no grupo da igreja quantos evangelhos exitem, por conta, desses quatro livros a resposta “quatro”. A propósito, esse texto não tem como objetivo trazer uma nova definição de evangelho, pense nessa leitura como um esclarecimento de algo que muitas vezes soa abstrato em algumas falas que vemos por aí. Continuar lendo “Evangelho: você sabe o que é?”

Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.
Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
Mateus 5:13-16 Continuar lendo “Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz”

A relação entre a Lei e a Graça

No rol das coisas que causam uma certa confusão na cabeça de muitos cristãos, está a relação entre a Lei e a Graça. Basicamente, encontramos dois grupos opostos: Os que buscam praticar a lei com total dedicação e aqueles que a ignoram totalmente acreditando que a Graça elimina qualquer traço de importância ou ensino que podemos ter com a primeira. Então, qual das duas é a correta?
Continuar lendo “A relação entre a Lei e a Graça”

Aborto: liberdade ou assassinato?

“O aborto não é uma opção, é um filho”
June Hunt

“Acho que o inimigo número um da paz é o aborto, porque é uma guerra contra a criança, uma matança direta de crianças inocentes perpetrado pela mesma mãe. E se nós aceitamos que uma mãe pode matar seu próprio filho, como podemos pedir a outras pessoas para não matar um ao outro? … Através do aborto, a mãe não aprende a amar, mas mata seu próprio filho para resolver seus problemas … Qualquer país que aceite o aborto não está ensinando o seu povo a amar, mas a usar a violência para conseguir o que deseja. Portanto, o pior inimigo do amor e da paz é o aborto. “

Madre Teresa de Calcutá Continuar lendo “Aborto: liberdade ou assassinato?”

A liquidez da cultura e a solidez do evangelho

É bem provável que vejam a expressão ‘”líquidos” nos meus textos aqui no blog daqui em diante. Ouvi a expressão no sentido que utilizo aqui pela primeira vez um episódio de Pokémon. No episódio em questão, Misty que é uma treinadora de Pokémon de água diz que prefere esse tipo, justamente por que a água em seu estado líquido tem a capacidade de se adaptar a qualquer recipiente e por algum motivo, a referência desse episódio

Continuar lendo “A liquidez da cultura e a solidez do evangelho”