As Crônicas de Nárnia: Uma jornada bíblica

Publicados entre 1950 e 1956, os livros narrando as aventuras de crianças em um país mágico cuja autoridade máxima é um leão dourado não domesticado, são a obra mais famosa do escritor C.S Lewis. Muitos consideram as obras infantis demais por conta de sua alegoria um tanto quanto óbvia a respeito do leão em questão, e mesmo sendo uma obra claramente cristã, assim como seu autor, ainda há quem acredite que não seja uma literatura a ser consumida por cristãos. Nesse breve texto, vou abordar um pouco sobre como cada livro traz ensinamentos valiosos e profundos sobre nossa trajetória cristã. Obediência, fé, amor, responsabilidade, honra  e justiça, são as lições principais que o mundo fantástico de Nárnia nos ensina.

711WTt57f7L

1 – O Sobrinho do Mago
Sinopse: 
A aventura começa quando Digory e Polly vão parar no gabinete secreto do excêntrico tio André. Ludibriada por ele, Polly toca o anel mágico e desaparece. Digory, aterrorizado, decide partir imediatamente em busca da amiga no Outro Mundo. Lá ele encontra Polly e, juntos, ouvem Aslam cantar sua canção ao criar o mundo encantado de Nárnia, repleto de sol, árvores, flores, relva e animais.

A soberania de Deus na criação é revelada no começo mágico de Nárnia. A aventura que envolve os pequenos Digory e Polly nos faz refletir principalmente, em como todas as coisas funcionam para glória de Deus, apontando para sua soberania. A criação de Nárnia nos faz refletir a respeito de como foi o processo criativo de nosso, afinal, quando contemplamos a natureza, somos capazes de vislumbrar todo a harmonia das coisas criadas, o que nos leva (ou pelo menos, deveria) a refletir sobre a origem de todas as coisas (Is 40.12; Pv 30.4). Outras referências presentes no livros são tentação e a queda da humanidade. Quais os efeitos do pecado? Como o Criador responde a essa desobediência? Como o restante da criação interage com o ocorrido? De maneira muito sutil, mas não menos instrutiva, Aslam explica seus motivos e sua ação no decorrer das coisas, deixando claro que, a Morte, é uma estrangeira no país da vida

Referências bíblicas: Isaías 40:6–31; Salmos 139:1–18; João 11:4–6, 32–44; Romanos 1:18–22; 11:33–36; 1 Coríntios 1:18–31; 10:13; Colossenses 2:8–9; Tiago 1:13–16

 

91yZXJuDpWL

2 – O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa
Sinopse: “Dizem que Aslam está a caminho. Talvez já tenha chegado”, sussurrou o Castor. Edmundo experimentou uma misteriosa sensação de horror. Pedro sentiu-se valente e vigoroso. Para Suzana, foi como se uma música deliciosa tivesse enchido o ar. E Lúcia teve aquele mesmo sentimento que nos desperta a chegada do verão. Assim, no coração da terra encantada de Nárnia, as crianças lançaram-se na mais excitante e mágica aventura que alguém já escreveu.

Dos sete livros, esse com certeza é o mais conhecido de todos. Sendo lançado em filme pela Disney em 2005, virou até meme, quando as pessoas diziam que iam ou mandavam alguém para Nárnia por conta de suas fantasias. A história de Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia, apontam para o evangelho de uma forma muito clara. A Morte, a estrangeira que invadiu Nárnia pela desobediência de um filho de Adão, agora será confrontada com o autor da vida. A magia profunda, criada antes da aurora do tempo, revela o plano de Deus para a salvação. A entrega voluntária de Aslam para receber uma punição que não era sua, o fator de ser traído, ser buscado por duas mulheres e sua ressurreição, são tão similares e baseados na vida de Cristo, que é difícil chamar esse livro de alegoria.

Referências bíblicas: Levítico 4:1–7, 35; Mateus 27:27–55; 28:1–10; Romanos 8:1–4; Efésios 6:11–18; Hebreus 9:11–10:18

71aPtIezcWL

3 – O Cavalo e seu Menino
Sinopse: Ao saber que não era filho de Arsheesh, o pescador, o jovem Shasta decide fugir da cruel Calormânia. Na companhia do cavalo falante Bree, ele parte em direção ao Norte rumo a Nárnia, onde o ar é fresco e reina a liberdade. Em sua jornada pelo deserto árido, Shasta tenta imaginar o que estará esperando por ele adiante. Tudo parece tão vasto, desconhecido, solitário… e livre.

Já se pegou pensando em como Deus guia nossas vidas? Como somos levados a cumprir os seus propósitos e desígnios sem mesmo receber uma ordem direta ou uma aparição pessoal dEle? A trajetória de Shasta e as dificuldade que encontra durante o caminho nos ajudam a compreender o que a Bíblia realmente quer dizer quando diz que todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus. Todas as dificuldades e provações que encaramos em nossas vidas, possuem o propósito claro de glorificar a Deus. Não são apenas coincidência ou até mesmo sorte. Ao acompanhar a jornada de Shasta, somos levados a refletir também sobre como o conceito sobre nós mesmos pode nos levar à insegurança, e como o orgulho pode roubar a glória de Deus. Outra reflexão que somos levados a fazer é, onde está Deus quando estamos assustados, machucados ou sozinhos?

Referências Bíblicas: Êxodo 1:22–2:10; 3:1–10; Deuteronômio 8:11–18; Salmos 42; 46; Provérbios 3:5–6; Filipenses 2:3–11

51sRCrxXvqL._SX325_BO1,204,203,200_

4 – Príncipe Caspian
Sinopse:
Tempos difíceis abateram-se sobre a terra encantada de Nárnia. Os dias de paz e liberdade, em que os animais, anões, árvores e flores viviam em absoluta paz e harmonia, estavam terminados. O Príncipe Caspian, herdeiro legítimo do trono, decide trazer de volta o glorioso passado de Nárnia.

Quando olhamos para uma criança recém-nascida, raramente pensamos nas dificuldades que ela encontrará quando crescer. Na verdade, toda fofura e dependência nos fazem querer entrar no mundo dela para esquecermos dos nossos problemas. Entretanto, em um mundo complexo e cheio de pecado e maldade como o nosso, faz-se necessário que “treinemos” nossas crianças para as batalhas que elas enfrentarão, para que assim possam entender qual é o chamado de Deus para suas vidas, e responder a ele. Talvez a situação mais incômoda neste quarto livro seja a incompreensão dos irmãos de Lúcia quando esta diz que viu Aslam, mas o leão não foi visto pelos outros. Esse diálogo nos leva a questionar nossa busca por Jesus. Será que temos O buscado não importando o custo? Ainda que nos esforcemos para que outros se acheguem a Ele conosco, vale a pena demorar em correr para os seus braços enquanto espera por terceiros?
Para que Nárnia seja restaurada é necessário que haja uma batalha por suas terras e pelo seu povo. O que nos faz pensar sobre em quem temos depositado nossa confiança diante das dificuldades da vida, e principalmente, é possível ter alegria em Deus mesmo diante de uma batalha tão assustadora e que estamos em aparente desvantagem?

Referências Bíblicas: Deuteronômio 6; Isaías 35; João 21:18–22; Atos 13:45–46; 14:2–7; Tiago 1:22–25; 2 Pedro 3:1–9

71uMk8XiK2L

5 – A Viagem do Peregrino da Alvorada
Sinopse: Lúcia e Edmundo, com seu odioso primo Eustáquio a tiracolo, embarcam numa incrível viagem de aventuras e descobertas, a bordo do imponente navio Peregrino da Alvorada. Rumo às Ilhas Solitárias, em busca dos sete amigos desaparecidos do pai do rei Cáspian, eles encontram um dragão, uma serpente do mar, um bando de criaturas invisíveis, um mágico e o próprio Aslam, o Grande Leão, que os presenteia com uma promessa muito especial.

Para este que vos escreve, sem dúvidas o melhor livro. Eustáquio, o odioso primo dos irmãos, sofre algo que todos nós em algum momento tememos que acontecesse conosco, sendo transformado em algo que reflita o seu caráter interior. Diante disso, podemos compreender que certas mudanças só podem ocorrer de fato, quando um poder maior as realiza dentro de nós. Lúcia que sempre vimos como sendo o ideal de fé e confiança em Aslam, seria considerada facilmente como alguém de coração puro. Entretanto, quando olha para dentro de si, contempla falhas e defeitos, sendo apresentada à inveja que ela sentia de sua irmã, Susana, tendo que refletir sobre como esse sentimento afetava tanto o seu caráter como suas escolhas. A jornada do Peregrino da Alvorada nos revela também a trajetória pessoal de Ripchip, o corajoso rato que conhecemos em Príncipe Caspian e como a sua busca pela eternidade é um estilo de vida, adotado somente pelos mais corajosos e nobres guerreiros. Ao final da leitura, o desejo que fica é de sermos como Ripchip, mas que para chegarmos ao seu grau de comprometimento e fidelidade, precisamos encarar nosso Eustáquio e nossa Lúcia interiores.

Referências Bíblicas:  Salmos 27:1–3; Eclesiastes 3:11–12; Isaías 51:12–15; Lucas 12:13–34; João 4:10–15; Romanos 7:15–25; 2 Coríntios 4:14–18; Apocalipse 3:4–5; 7:9–17

71eWbKM7mTL

6 – A Cadeira de Prata
Sinopse: Como se chega até lá?, perguntou Jill, tentando encontrar um jeito qualquer de fugir daquela escola horrível. “Do único modo possível”, sussurrou Eustáquio, “por magia”. Então deram-se as mãos e, concentrando toda a sua força de vontade para que algo acontecesse, viram-se de repente à beira de um alto precipício, muito acima das nuvens, na terra encantada de Nárnia. Assustada e confusa, Jill fica horrorizada ao ver Eustáquio perder o equilíbrio e cair. Imediatamente, porém, ela sente ao seu lado uma presença calorosa. Era o Leão.
Jill e Eustáquio recebem uma importante missão de Aslam, mas para cumprirem essa missão de acordo com a vontade de Aslam, precisam se lembrar dos sinais que ele disse que aconteceriam. Diante disso, a jornada das duas crianças nos faz meditar sobre como é essencial guardar a Palavra de  Deus se queremos ser realmente fiéis a Ele. Como nos comportamos quando todas as evidências apontam para o contrário. Quando o mundo inteiro diz que Aslam não existe e só o que temos é a sua Palavra, como nossos corações reagem a essas provações? Permanecemos fieis a Cristo ou nos deixamos levar pelas circunstâncias? A sexta parte dessa incrível jornada é extremamente familiar, pois assim como Jill e Eustáquio somos tentados todos os dias a negar as promessas de Deus. Mas ainda bem, que o que está registrado em sua Palavra se cumpre, independente de nossas ações.
Referências Bíblicas: Salmos 119:92–104; Isaías 35:5–6; Daniel 3:13–18; 1 Coríntios 15:35–55; Filipenses 1:12–30; Hebreus 2:15; Tiago 1:22–25
51Dg89XznOL._SX322_BO1,204,203,200_
7 – A Última Batalha
Sinopse:À luz de uma enorme fogueira crepitante, a última batalha de Nárnia está prestes a acontecer. O rei Tirian, ajudado corajosamente por Jill e Eustáquio, terá de enfrentar os cruéis calormanos, num combate que decidirá, finalmente, a luta entre as forças do bem e do mal. Mas, com tantas dúvidas e confusão ao redor, conseguirá o rei Tirian manter-se firme na hora mais negra de Nárnia?
Assim como a Bíblia, As Crônicas de Nárnia encerram sua narrativa com uma batalha do Bem contra o Mal. O que fazer diante das histórias contadas sobre um Aslam que faz todas as coisas ao contrário do que as histórias e lendas contavam antes? Quando um Porta-Voz se levanta em nome do Grande Leão fazendo alianças com quem apenas quer destruir os narnianos, é o sinal de que está muito errado. Para os amantes de Escatologia, A Última Batalha é cheia de simbolismos. A aliança dos reinos contra os habitantes da Terra Prometida, um falso profeta falando em nome de um falso salvador que promete paz e prosperidade às custas da destruição de seu próprio povo, com certeza são sinais que saltarão aos olhos dos mais familiarizados com a doutrina do fim dos tempos. O que irá acontecer quando o mundo acabar? E quando Jesus voltar? Como será o ceú, de fato? Perguntas importantes que Lewis responde com muita clareza e sensibilidade.
Referências Bíblicas: Isaías 65:17–25; Mateus 24:4–27, 29–31; 25:1–10, 31–46; João 10:1–9; 2 Pedro 3:10–18; 1 João 2:18–27; Apocalipse 6:12–17; 21:1–22:5
As Crônicas de Nárnia apesar da roupagem infantil, como pudemos ver possuem um conteúdo riquíssimo que pode ser muito útil na educação cristã tanto de crianças quanto  de adultos. Os conflitos apresentados são comuns a todos nós. Todos nós já fraquejamos em algum momento de nossa jornada com Cristo e Ele, em sua infinita graça e misericórdia, nos sustentou com sua provisão. As promessas do Senhor, tais quais as de Aslam, se cumprirão de acordo com a sua vontade. De Gênesis a Apocalipse, o que Deus deixou registrado não é uma aposta, mas um decreto, não para nos assustar, mas que possamos nos confortar de que Ele é quem tem o domínio sobre todas as coisas, pois toda a autoridade é dEle, tanto no céu, quanto na terra.
Incentive a leitura das Crônicas de Nárnia, e caso não as conheça, não perca tempo, Aslam está te esperando.
Celso Amaral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *