Precisamos de uma nova Reforma?

A chama da reforma começou na Alemanha, através do monge Martinho Lutero, que era professor na universidade de Wittenberg. Lutero foi até Roma e ficou escandalizado com o declínio espiritual dos líderes religiosos. E se dedicando ao estudo da palavra de Deus descobriu a doutrina da Justificação pela fé. Com isso viu que a exploração da fé do povo através das indulgências não cabia nos ensinos da palavra de Deus.

Lutero começou a pregar a doutrina da Justificação pela fé e isso causou um alvoroço e os líderes religiosos se revoltaram contra ele. E no dia 31 de outubro de 1517 Lutero fixou suas 95 teses na porta da catedral de Wittenberg, e estava sendo dado ali o grito da reforma. Em junho de 1520 Lutero foi excomungado pelo papa João X. Em 17 de abril de 1521 foi obrigado a renunciar seus ensinamentos, o que respondeu: “É impossível retratar-me, a não ser que me provem que estou laborando um erro, pelo testemunho das Escrituras ou pela razão evidente. Não posso confiar nas decisões dos concílios e dos papas, pois é evidente que eles não somente têm errado, mas se tem contradito uns aos outros. Minha consciência está alicerçada na palavra de Deus, e não é seguro nem honesto agir contra a consciência de alguém. Assim Deus me ajude. Amém! ”.

Lutero traduziu o Novo Testamento para a língua alemã e faleceu em 18 de fevereiro de 1546 aos 63 anos de idade, mas antes de falecer, ele tinha mudado a história.

Mas como o tema desse texto é: “Precisamos de uma nova Reforma? ”, quero me ater nisso.

O que me chama atenção na Reforma Protestante é o declínio espiritual que se encontravam os líderes religiosos. A exploração que esses líderes faziam da fé do povo. Esses líderes também mantinham em seu poder as Sagradas Escrituras e o povo não tinha acesso a Palavra de Deus e por isso era mais fácil aos líderes enganarem essas pessoas. O que me faz lembrar das palavras do profeta Oséias, “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento (Oséias 4.6a) “.

Martinho Lutero ao ver tudo isso e se revolta contra os líderes, mas ele conseguiu ver que tudo isso era errado ao se dedicar fortemente ao estudo da Palavra de Deus.

E quando penso nos nossos dias atuais, começo a imaginar e analisar sobre essa pergunta, “Precisamos de uma nova Reforma? ”, me vem a memória os escândalos que muitos líderes religiosos têm cometido. E como tudo isso está tão frequente na mídia. Como isso tem afetado a todos cristãos em relação a moral e dignidade. Vejo líderes que usam de “sua autoridade eclesiástica” para humilhar e explorar o povo. Líderes que enriquecem através do mal-uso da palavra de Deus e também abusam da ignorância bíblica do povo.

E se formos analisar friamente os nossos dias, veremos que tem muito a ver com o que estava acontecendo nos dias de Lutero. E é isso que me preocupa. E me preocupa mais ainda saber e ver que muitos não estão nem aí para o que está acontecendo.

E para responder à pergunta se “Precisamos de uma nova Reforma? “, a resposta é, sim.

Precisamos mais do que nunca voltarmos, como fez Lutero, às Sagradas Escrituras. Nos dedicarmos aos estudos sérios da Palavra de Deus, sem ser levados pelos dogmas das denominações, mas deixarmos ser guiados por Deus e através de seu Espírito Santo para entendermos “qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12.2) “.

Precisamos urgentemente de homens e mulheres de Deus que não tenham medo, que não neguem a sua fé, que estejam dispostos e dispostas a “pelejar pela fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos (Judas 3) “.

Precisamos de homens e mulheres que não se prendam a dogmas e doutrinas, mas se levantem com coragem e autoridade, baseados na Palavra de Deus, para confrontar todas essas heresias e explorações que tem surgido e tem feito a igreja e os membros perderem credibilidade no mundo.

Precisamos resgatar os bons valores cristãos, resgatar os bons costumes, resgatar o amor pelo próximo e o temor a Deus.

Espero e oro, para que tenhamos homens e mulheres que honrem a Deus em tudo que façam e não se deixem corromper com o pecado. Que possamos, e me incluo nisso, vivermos um verdadeiro Evangelho. Com sinceridade, verdade, integridade e em santidade. Só assim conseguiremos combater tudo que está acontecendo em nosso meio e que pode levar muitos a perdição. Que venhamos ser uma voz profética nesses dias que vivemos.

Bibliografia

 – Editora Vida Nova: Livro – Uma História Ilustrada do Cristianismo: a Era dos Reformadores Até a Era Inconclusa – Volume 2 – Justo L. González

 – Bíblia Sagrada – Almeida Revista e Atualizada

 

Por: Alex Torres

Presbítero e Coord. Escola Bíblia Dominical, Assembleia de Deus Jardim Inamar

Um comentário em “Precisamos de uma nova Reforma?

  1. A Reforma um movimento histórico do séc. XVII, mas ela precisa acontecer de novo, sempre que necessária, na vida da Igreja. precisamos desesperadamente dela outra vez em nossas igrejas, porque estamos em tempo de confusão doutrinária, tempos de vacilação teológica, tempos de incerteza cultica. alguns ministros, porém nem sequer sonham com uma reforma novamente. provavelmente, eles acreditam possuir razões teológicas para essa posição. Reforma relembra um estudo sério da palavra, compromisso inequívoco com o reino de Deus, rompimento com o erro e com a falsa adoração. a idéia de reforma não é bem vinda porque vai exigir dos ministros um estudo sério das posições, uma reavaliação da sua conduta litúrgica e teológica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *