RELACIONAMENTOS

As pessoas se tornaram descartáveis, Deus se tornou uma espécie de gênio da lâmpada, e as famílias se tornaram dispensáveis.

O ser humano é uma espécie sociável. Não temos a capacidade de nos isolarmos completamente das outras pessoas. Como disse, John Danne, “Nenhum ser humano é uma ilha […]” essa frase já foi muito dita há alguns anos atrás, mas hoje esse discurso mudou.

A nova filosofia é “ninguém precisa de ninguém”, “a minha felicidade não depende de outros”, “o que importa no final das contas, é como eu me sinto”. Com a propagação desse tipo de ideias, vemos como a sociedade tem mudado, alterando nosso comportamento, nos tornando mais egoístas e menos propensos à empatia.

Por conta disso, é comum vermos os mais variados tipos de relacionamentos durando bem menos, do que antes. São os chamados, Relacionamentos Líquidos. Relações que duram tanto quanto o retorno do outro. Ou seja, enquanto conseguir do outro alguma espécie de retorno, há um interesse. Quando isso se esvai, a pessoa vai junto.

Como cristãos, como devemos nos portar diante dessa nova onda?

 

Relacionamentos pessoais

Atualmente, é comum trocarmos de amigos, namorados e cônjuges, quase que com a mesma frequência que mudamos de canal, passamos a “zapear” os relacionamentos.

Jovens que a cada semana estão amando um(a) novo(a) namorado(a), casamentos que duram dois ou três anos, e amizades que vem e vão como as chuvas de Dezembro.

De repente, nos vemos descartando pessoas simplesmente, por não gostarmos, de uma ou outra atitude ou traço de personalidade. Quando nos magoamos, pensamos que se aquilo nos faz “mal” devemos descartá-los de nossas vidas. Simples e rápido. Afinal, se não nos agrega, deve ser sumariamente deletado.

Em Colossenses 3.13, diz o seguinte: “Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente, toda vez que tiverdes queixa contra outrem. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós.” É importante notar o sentido dessas instruções de Paulo. Muita gente interpreta o “Suportai-vos” como uma forma de tolerância à contragosto das atitudes do outro. Porém, se dermos uma olhadinha no dicionário, vamos ver que Suportar, significa dar suporte, ou sustentação, aguentar de forma persistente. Ou seja, nesse versículo, o “Suportai-vos”  significaria, “Apoiem-se uns nos outros…” Ou seja, o ponto da mensagem de Paulo, é, que devemos suprir as fraquezas uns dos outros. Nesses tempos de descarte de pessoas, parece que isso é besteira, afinal, não temos tempo para perder com os problemas e necessidades alheias. Porém, essa preocupação é algo realmente necessário. Estamos perdendo o amor por nossos irmãos, exatamente como Cristo nos advertiu. O fato de estarmos sendo influenciados por uma cultura que martela constantemente a ideia do desapego, é um grave sinal de como estamos deixando, não só de prestar atenção à Palavra, mas pior que isso, a estamos deturpando.

Precisamos construir relacionamentos sólidos. E, em todo tipo de relacionamento há ciclos, e precisamos nos dispor a vivermos esses ciclos com nossos irmãos. Chorando, sorrindo, dando apoio, perdoando às ofensas, assim como o Senhor nos perdoa quando o ofendemos. Futuramente, pretendo abordar a liquidez do relacionamento com Deus nos dias atuais. Assim como, amizades, namoro e casamento de forma mais detalhada.

Para concluir, deixo um poema declamado na música, Encontro, do Oficina G3:

 

“Um nó, dois nós

Eu, mais um ou mais, um ser simplesmente

O eu poético do verdadeiro encontro

Nó, no plural, nós

Se o nó é na garganta e um de nós aflito

O outro sossegado, erudito, tem o antídoto

E assim, sucessiva, alternada

E alternativamente, amigos

Do saber, no lazer, no ócio e no labor

Buscando o equilíbrio, temperante

Dás-me que dou todo meu ser

Todo meu querer ser

Todo ouvido, havendo ouvido

E por seus conteúdos movido

Cada indivíduo vai e ver vir ávido dizer…

Conte comigo!

Práxis edificante”

Um comentário em “RELACIONAMENTOS

  1. Confesso que sou de uma época que a amizade tinha muito mais valor que o dinheiro.Tenho amigos que mesmo que não os veja com muita frequência posso contar com eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *